terça-feira, abril 14, 2020

O NOVO CORONAVIRUS FOI PREVISTO DESDE 2007

NOVO CORONAVIRUS: HAVIA UM ALERTA DESTE 2007
Otoniel M. de Medeiros


INTRODUÇÃO


O mundo estava alertado desde 2007 sobre a reemergência do coronavirus com forte potencial, com a publicação deste artigo científico:


“CLINICAL MICROBIOLOGY REVIEWS, Oct. 2007, p. 660–694 Vol. 20, No. 4
0893-8512/07/$08.00_0 doi:10.1128/CMR.00023-07
Copyright © 2007, American Society for Microbiology. All Rights Reserved.
Severe Acute Respiratory Syndrome Coronavirus as an Agent of Emerging and Reemerging Infection
Vincent C. C. Cheng, Susanna K. P. Lau, Patrick C. Y. Woo, and Kwok Yung Yuen*

State Key Laboratory of Emerging Infectious Diseases, Department of Microbiology, Research Centre of Infection and Immunology, The University of Hong Kong, Hong Kong Special Administrative Region, China”.

[Disponível em https://cmr.asm.org/content/20/4/660. Acesso em 14 de abril de 2020. Para maiores informações técnicas com o Dr Rodrigo Silva: https://youtu.be/7tl9mwMfF3s].

O QUE FOI FEITO POR NÓS?

Em 2007 os cientistas Vincent C. C. Cheng, Susanna K. P. Lau, Patrick C. Y. Woo, and Kwok Yung Yuen, no artigo científico CLINICAL MICROBIOLOGY REVIEWS, alertavam:


“Sabe-se que os coronavírus sofrem recombinação genética, o que pode levar a novos genótipos e surtos. A presença de um grande reservatório de vírus do tipo SARS-CoV em morcegos-ferradura, juntamente com a cultura de comer mamíferos exóticos no sul da China, é uma bomba-relógio. A possibilidade de reemergência da SARS e outros vírus novos de animais ou laboratórios e, portanto, a necessidade de preparação não deve ser ignorada”.

Os líderes do mundo não deram ouvidos à voz da ciência, os ecologistas também não e agora quase 13 anos depois o coronavirus volta, o novo coronavirus, reemerge e o mundo para, mostrando que o nosso modelo de vida está errado.

CONCLUSÃO

Poucos versículos de Levítico capítulo 11 teria salvo o planeta desta pandemia, a Covid-19. Levítico 11.13a: “Das aves, estas abominareis; não se comerão, serão abominação: ...”. Levítico 11.19b: “... e o morcego”.

O país que proíbe a Bíblia, proíbe o cristianismo e muitos defendem que não se pode alterar a cultura com um conceito puramente bíblico, levam o mundo a este caos. O conteúdo bíblico é absoluto, imutável. Para nossa reflexão, Mateus 24.35: "Passará o céu e a terra, porém as minhas palavras não passarão".


Parnamirim – RN, 14 de abril de 2020


Na paz e sempre na paz: Deus é soberano e tem o controle de tudo.


Otoniel M. de Medeiros



www.otonielmedeiros.com.br

quinta-feira, março 26, 2020

A BENDITA ESPERANÇA

A BENDITA ESPERANÇA

Otoniel M. de Medeiros



Lucas 21: “10Então, lhes disse: Levantar-se-á nação contra nação, e reino, contra reino;11haverá grandes terremotos, epidemias e fome em vários lugares, coisas espantosas e também grandes sinais no céu”.

Lucas 21: “28Ora, ao começarem estas coisas a suceder, exultai e erguei a vossa cabeça; porque a vossa redenção se aproxima”.

INTRODUÇÃO 

Hoje é 25 de março de 2020, o mundo vive a terrível pandemia do novo coronavirus (Covid-19). Nos últimos 1.500 anos estima-se mais de 3 bilhões de pessoas no mundo morreram vítimas de doenças provocadas por novos vírus e bactérias. No domingo agora 22 de março de 2020, o maior terremoto em 140 anos atingiu a capital da Croácia, Zagrebe, com esse povo em quarentena. Foram afetados os países: Bósnia e Herzegovina, Croácia, Hungria, Eslovênia e Áustria. Hoje 25 de março de 2020, um grande terremoto atingiu o extremo leste da Rússia. Observamos que é uma “sucessão” de coisas conforme fala Lucas 21.28. 

A pergunta dos discípulos ao Mestre é quando aconteceria a destruição do templo. O Senhor Jesus começa a mostrar e começa falando sobre o princípio das dores até chegar a Jerusalém sitiada, destruída, incluindo o Templo no ano 70 d.C. pelos romanos, o Senhor Jesus descreveu os acontecimentos em sentido contrário à linha do tempo, misturando um pouco o início dos acontecimentos finais com a destruição de Jerusalém que se daria uns 37 anos depois daquele momento, em seguida o Senhor aborda a vinda do Filho do homem. Parece que sofrimento humano no princípio das dores e a grande tribulação é uma projeção proporcional do que aconteceu com a destruição de Jerusalém, que foi um profundo e intenso sofrimento para o povo judeu.

O Novo Testamento se refere à segunda vinda de Cristo por mais de trezentas vezes, numa média de um versículo a cada vinte e seis. O cristianismo é totalmente seguro em crer e depositar a sua viva esperança e confiança nesta verdade. O nosso objetivo neste texto é ver os acontecimentos neste planeta contaminado pelo pecado, numa segurança da Bendita Esperança: a próxima vinda do Senhor Jesus a este planeta. O Senhor Jesus vence no Calvário e como toda a raça humana achava-se sob a servidão devido ao temor da morte (Hb 2.14-15), afastou a ira divina que pairava sobre nós por causa dos nossos pecados. Com a Sua ressurreição nos justificou (Rm 4.25), essa amplitude do amor de Deus, permite que vivamos a Bendita Esperança, aleluia!

A BENDITA ESPERANÇA (Tito 2.13)

A iminente e bendita esperança da Igreja é a ressurreição e o arrebatamento dos que dormem em Cristo com os santos que estiverem vivos (Rm 8.23; 1 Co 15.51-52; 1 Ts 4.16-17; Tt 2.13). As vezes o medo com o “suceder” das coisas terríveis sobre naturais e humanas podem deixar as pessoas e sem qualquer esperança. Deus não permitirá que as circunstâncias prejudiquem seus planos. Ele instaurará o seu reino glorioso. A volta de Cristo é a esperança da Igreja. A morte jamais poderia ser a nossa esperança. O ensino da segunda vinda de Cristo é o incentivo a uma vida santa e estimula o serviço cristão.

O princípio das dores parece como um portal para a Grande Tribulação que é um período de terrível tribulação e angústia predito pelos profetas do Antigo Testamento. Daniel fala de uma tribulação jamais dantes experimentada (Dn 12.1), Jeremias chama “o tempo de angústia para Jacó (Jr 30.4-7). Tanto Isaias quanto Zacarias falaram acerca desta indignação de Deus contra os habitantes da terra (Is 24.17-21 e Zc 14.1-3). Mateus descreve como a Grande Tribulação (Mt 24.21-29). João descreve como a “hora da tentação que há de vir sobre o mundo, para tentar os que habitam na terra” (Ap 3.10).

Só o sangue do Senhor Jesus é suficiente para salvar-nos da ira de Deus (Rm 5.9). Deus não nos destinou para a ira, mas para a salvação em nosso Senhor Jesus Cristo (1 Ts 5.9). Quando tudo isso começar a acontecer, e agora a continuidade desses sinais, também é sinal de que a redenção da Igreja, a nossa redenção está próxima (Lc 21.28), com o destaque que devemos focar a nossa atenção sobre o Senhor Jesus Cristo, e não sobre os sinais.

CONCLUSÃO

Esta pandemia da Covid–19, que é uma sucessão de sinais previstos (Lc 21.10), como Deus é soberano e tem o controle de tudo, podemos entender como um juízo de Deus; só nos cabe pedirmos perdão a Deus e nos ajustarmos melhor aos seus planos como indivíduo, família e igreja. Como as palavras do Senhor não passam (Lc 21.33) tanto de juízo como de proteção, destacamos: “Estejam sempre atentos e orem para que vocês possam escapar de tudo o que está para acontecer, e estar de pé diante do Filho do homem" (Lc 21.36).


Na paz, e sempre na paz: Deus é soberano e tem o controle de tudo.


Otoniel M. de Medeiros




Referência bibliográfica


MENZIES, William W.; HORTON, Stannley M. Doutrinas Bíblicas. São Paulo: Casa Publicadora das Assembleias de Deus.



Parnamirim – RN, 26 de março de 2020

segunda-feira, fevereiro 03, 2020

DOWNLOADS



1 - REVISTAS EBD - ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL




2 -  APOSTILAS



3 - HISTÓRIA DA IGREJA DE CRISTO



4 - BIOGRAFIAS