sábado, março 06, 2021

2/13 - A BÍBLIA NÃO É REFUTADA PELA CIÊNCIA

FÉ CRISTÃ E CIÊNCIA - CRIACIONISMO
(Com respeito a quem pensa diferente)

LEITURA BÍBLICA
2 Timóteo 3.1-7: Tempos difíceis

INTRODUÇÃO

Ciência significa “conhecimento”. A ciência foi desenvolvida na Europa cristã por pessoas que criam que Deus criou um universo harmonioso. É indispensável distinguir entre ciência operacional (ou observacional) e ciência histórica (ou de origem). Na ciência operacional (observacional) o conhecimento é obtido por intermédio da observação e com base em testes repetíveis. Na ciência histórica, o conhecimento depende de relíquias do passado e de registros históricos. Quer sejamos criacionistas ou evolucionistas, todos usamos a mesma ciência operacional.

A ciência é uma consequência de Deus. A razão do universo ser ordenado e lógico é porque Deus, o criou assim, portanto, a ciência observacional não pode refutar a Bíblia. O criacionista concorda com a ciência observacional (operacional) mas discorda totalmente da ciência histórica (de origem). O problema não é com a ciência operacional, mas com a interpretação equivocada da história não observada. Deus, como criador do universo, nos diz pelo Gênesis como criou tudo, porque crê em informações contrárias?

2.1 – A CRIAÇÃO

Por aproximadamente 1.800 anos a igreja acreditou quase no mundo todo a leitura mais natural de toda a Bíblia que: (1) Deus criou o universo em seis dias literais de aproximadamente 24 horas e uma Terra jovem; (2) Ele amaldiçoou toda a criação que foi criada “muito boa”, isso depois da rebelião de Adão; (3) Ele destruiu o mundo com o dilúvio, de um ano, no tempo de Noé; e 4) Deus julgou a humanidade na Torre de Babel, separando as pessoas em diferentes idiomas.

Talvez alguém possa achar essa forma de pensar e crer, um absurdo científico. De uma forma bem simples, pesquisando no site https://answersingenesis.org que essa visão da Terra jovem é biblicamente necessária e cientificamente consistente, sólida; e que muitos cientistas respeitados hoje no mundo, todos pensam desta forma, nas evidências bíblicas. No Brasil temos o cientista Adauto Lourenço (@prof_adauto) que desenvolve com muita qualificação esse tema do Criacionismo.

“Para os criacionistas da Terra jovem, a tarefa apologética começa com a Escritura, pois é a Palavra de Deus inspirada e inerrante. Deus nos ensina a construir nosso pensamento na sólida rocha de sua Palavra (Mt 7.24-27). Não devemos nos desviar para a direita ou para a esquerda (Js 1.7-8). Devemos evitar ser levados cativos pelas tradições, filosofias e especulações dos homens, apegando-nos à Palavra de Cristo (2 Co 10.5; Cl 2.8). A Criação de Deus nos fala não verbalmente sobre sua existência e seus atributos (Rm 1.18-20); Sl 19.1; 97.6). Mas as Escrituras nos falam verbal e sinceramente sobre muito mais. E, como veremos, a Criação é amaldiçoada, enquanto as Escrituras (a Palavra escrita) não é. Sem a revelação bíblica sobre a queda do homem que impactou o cosmos, a criação dá uma mensagem confusa sobre o Criador. Portanto, começamos nossa reflexão sobre as origens (como em todas as outras áreas) com a Escritura, a Palavra santa e inerrante de Deus”. [1]

2.2 – MILHÕES DE ANOS? [3]

Até a maioria das pessoas na Igreja tem como certo que a Terra e o universo é muito antigo, têm milhões e até bilhões de anos. Em todo os níveis da sociedade mundial, todos vivem a ditadura da teoria do evolucionismo que tem a fundamentação na antiguidade do universo. A idade da Terra era considerada por todos os geólogos na ordem das centenas de milhões de anos. A partir de 1903 os métodos de datação radiométrica começaram a ser desenvolvidos e a idade da Terra se expandiu para 4,5 bilhões de anos e o universo a partir de 2003, teve a sua “idade” calculada em 13,7 bilhões ±200 milhões de anos. Observamos uma incoerência com a narração do Gênesis afirmando que  o universo é mais velho do que a Terra 9,2 bilhões de anos.

Pensar em se tomar cada um dos dias da criação como sendo figurativo, é querer harmonizar a Bíblia com a religião pagã do naturalismo/evolucionismo/humanismo e misturá-la com ideias evolucionistas com o big bang e uma terra muito velha. Isso é rejeitar a Palavra de Deus. O evolucionismo precisa de um universo muito antigo para desenvolver a sua teoria.

CONCLUSÃO


“Deus está escrevendo sua história aqui - neste planeta azul rodopiante. E ele colocou este globo único em um universo absolutamente enorme , que é o palco que você esperaria para um plano do tamanho de Deus. Eu diria o quão grande é o nosso universo, mas realmente não podemos ter certeza. A melhor estimativa que temos para o que podemos ver do universo é de aproximadamente 92 bilhões de anos-luz de uma ponta a outra (um ano-luz é a distância que a luz viaja em um ano). E a parte que não podemos ver pode ser muitas, muitas vezes maior do que isso. Em outras palavras, é tão grande que nossos cérebros se enredam em nós, mesmo tentando compreendê-lo”. [3]

A ciência operacional simplesmente observa a criação de Deus: “Pela fé, entendemos que foi o universo formado pela palavra de Deus, de maneira que o visível veio a existir das coisas que não aparecem” (Hb 11.3). O criar de Deus é o “Ex-nihilo”. Criar do nada (Ne 9.6; Cl 1.16-17). Em Gn 1.1-7 Deus ordena o mundo à existência a partir do nada, e no versículo 7 ele organiza a sua criação.

As leis físicas apresentadas na Bíblia não contrariam as leis operacionais da ciência. O contrário ocorre, é que as conclusões da ciência histórica, que são teorias, contrariam a revelação da Palavra de Deus, as Escrituras. Ou seja, contrariam a revelação da Palavra: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o servo de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda a boa obra” (2 Tm 3.16-17).

CONFIRMAÇÃO

A Bíblia não é contraditada pela ciência histórica porque: “... homens falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo” (2 Pe 1.21).


REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA


[1] HAM, Ken...[et al] A origem. Rio de Janeiro: Thomas Nelson, 2019.

[2] ALEXANDER, Denis R. Criação ou evolução. Viçosa, MG: Ultimato, 2017.

[3] MORTENSON, Terry. Where Did Idea of “Millions of Years” Come From?. Disponível em: https://answersingenesis.org/theory-of-evolution/millions-of-years/where-did-the-idea-of-millions-of-years-come-from/. Acesso em 06 de março de 2021.

Parnamirim - RN, 06 de março de 2021

Na paz e sempre na paz,

Otoniel Medeiros















Nenhum comentário: