terça-feira, dezembro 03, 2019

O HOMEM PECANDO E DEUS ORANDO

Otoniel M. de Medeiros


O HOMEM PECANDO


“Então, formou o Senhor Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente” (Gn 2.7). Tudo indica que na criação do homem há um toque, há um contato, o Senhor Deus deixa no homem as suas impressões digitais.

“E a costela que o Senhor Deus tomara ao homem, transformou-a numa mulher e lha trouxe” (Gn 2.22). Deus devolve a costela transformada numa mulher e formaliza um casamento para se tornarem uma só carne (Gn 2.24). 

Em Gn 3.6, há a queda pecaminosa do gênero humano contrariando a ordem do Senhor Deus conforme Gn 2.17, ordem dada a Adão, que Eva já conhecia por intermédio de Adão ou do próprio Deus. Se Deus repetiu a ordem para Eva, Adão ouviu a ordem duas vezes.

Ouvindo o homem e sua mulher os passos do Senhor Deus que andava pelo jardim quando soprava a brisa do dia, esconderam-se da presença do Senhor Deus entre as árvores do jardim. 

Gn 2.8: “Quando ouviram a voz do Senhor Deus, que andava no jardim pela viração do dia, esconderam-se da presença do Senhor Deus, o homem e sua mulher, por entre as árvores”. 

Deus procura o homem, ele estava em pecado, estava pecando...


DEUS ORANDO

Mc 1.35-37: 35De madrugada, quando ainda estava escuro, Jesus levantou-se, saiu de casa e foi para um lugar deserto, onde ficou orando. 36Simão e seus companheiros foram procurá-lo 37e, ao encontrá-lo, disseram: "Todos estão te procurando!".

Quando o homem procura o Senhor Jesus, ele estava orando...

Parnamirim – RN, 03 de dezembro de 2019

Otoniel M. de Medeiros

quarta-feira, novembro 20, 2019

MOISÉS: DEZ DUAS VEZES

Otoniel M. de Medeiros

2 Tm 1.17: "Pois Deus não nos deu espírito de covardia, mas de poder, de amor e de equilíbrio".

AS TÁBUAS DA LEI

A ação com poder decisivo deve ser acompanhada com amor e equilíbrio (2 Tm 1.7). Moisés desce do Monte Sinai (Monte Horebe) com as duas tábuas do Testemunho, tábuas escritas dos dois lados, preparadas e escritas por Deus (Ex 32.15-16).

Quando Moisés de aproxima do acampamento, viu o povo envolvido completamente com idolatria, com o bezerro de ouro, ficou irado e quebrou as tábuas ao pé do monte (Ex 32.19). Tudo indica que o zelo de Moisés não foi acompanhado por amor e equilíbrio.

Deus ainda escreve as segundas tábuas da lei (Ex 34.1). Deus não preparou mais as tábuas, apenas escreveu. Agora a preparação das tábuas ficou com Moisés. A falta de equilíbrio pode retardar alguns momentos e trazer consequências mais danosas, mais trabalhosas. O binômio sensatez e equilíbrio deve ser observado, guardado: “Meu filho, guarde consigo a sensatez e o equilíbrio, nunca os perca de vista” (Pv 3.21).

A ROCHA FERIDA

Sob ordens de Deus, Moisés, em vez de falar à rocha, bateu na rocha e saiu água para beber (Ex 17.6). Em Nm 20.11, Moisés em vez de falar à rocha como Deus ordenara, toca (fere) duas vezes, por isso também não entrou na terra prometida, por não confiar e honrar ao Senhor (Nm 20.12).

Na transfiguração (Mt 17.1-13) o Senhor Jesus aparece a Pedro, Tiago e João e apareceram Moisés e Elias falando com ele. Como Elias foi levado para o céu (2 Rs 2.11), certamente a essência de Moisés era a mesma de Elias. Como Deus enterrou Moisés (Dt 34.6; Jd 9), provavelmente Deus ressuscitou Moisés e o levou para o céu como levou Elias.

CONCLUSÃO

Moisés não entrou na terra prometida num primeiro momento, mas estava lá na transfiguração. Não devemos abusar, mas a graça de Deus nos surpreende, com o destaque: “Assim conhecemos o amor que Deus tem por nós e confiamos nesse amor. Deus é amor. Todo aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus nele” (1 Jo 4.16).

Parnamirim – RN, 20 de novembro de 2019

Otoniel Medeiros

segunda-feira, agosto 05, 2019

A CEIA DO SENHOR


A CEIA DO SENHOR
Parnamirim – RN, 05 de agosto de 2019

1 Co 11.26: "Porque, sempre que comerem deste pão e beberem deste cálice, vocês anunciam a morte do  Senhor até que ele venha".

O momento da Ceia do Senhor é memorial, lembrar-se do Senhor pela sua morte e profética, anunciar a sua vinda.

Como o Cordeiro é conhecido (e não morto) desde a fundação do mundo e nos revelado agora em nosso favor (1 Pe 1.20), a vinda do Senhor para a igreja (Mt 24.27) é uma abertura dos portais da eternidade futura, na Ceia do Senhor também pode se sentir a dimensão de uma experiência de obediência ao Senhor que liga a eternidade passada à eternidade futura.


Na paz e sempre na paz,

Otoniel Medeiros

segunda-feira, maio 20, 2019

A IDADE DO UNIVERSO

Fig. 1 - Temperatura x tempo de criação do universo

No dia 11 de fevereiro de 2003 um grupo de cientistas afirmaram terem calculado a idade do universo. A idade calculada foi 13,7 bilhões de anos ± 200 milhões de anos. Para esse cálculo levaram em consideração uma composição teórica do universo de 4% de matéria bariônica, ou seja, matéria formada principalmente de prótons, nêutrons e elétrons, 22% de matéria escura e fria e 74% de energia negra exótica. Esses pesquisadores nem ao menos sabiam se os parâmetros utilizados para os cálculos existem, são propostas teóricas.
A primeira lei da termodinâmica diz respeito à conservação de energia. Esta lei diz que embora energia possa ser transformada de uma forma em outra, ela não pode ser criada nem destruída. Deste princípio vem a segunda lei da termodinâmica que em qualquer processo físico energia útil é sempre dissipada. Esse desgaste é a entropia. Então, a tendência normal de qualquer sistema é a de se desorganizar.
Essas duas leis têm implicações fortes quanto à origem do universo. Elas estabelecem que a energia do universo é constante e que a energia utilizável é decrescente por causa da entropia, do desgaste. Os cientistas Rudolf Clausius e Hermann L. F. von Helmholtz concluíram: para que o universo tenha a ordem que ele apresenta hoje, deve ter possuído no passado uma organização maior do que a de hoje, tendo sido energizado num passado finito. Essa conclusão tem implicações de extrema importância para o criacionismo. A teoria do big bang diz exatamente e contrário. Caso o universo tivesse bilhões de anos, seria um sistema totalmente caótico e não organizado como o vemos.
A temperatura do universo (radiação de fundo), conforme a Figura 1, é fundamental na avaliação da sua idade, se foi criado extremamente quente (big bang) ou extremamente frio (criacionismo) implica diretamente nesse cálculo. A cosmologia do big bang diz que o universo surge com calor extremo e nos últimos14 bilhões de anos chegou a temperatura atual de 3 Kelvins.
A teoria criacionista propõe que o universo foi criado num estado energético altamente estruturado e organizado, pronto, em pleno funcionamento e frio. A baixa temperatura inicial vem das considerações termodinâmica que propõe baixas temperaturas no início de um processo, até que este atinja uma temperatura de equilíbrio com o meio ou uma temperatura de equilíbrio de funcionamento.
Pela teoria criacionista qual o tempo para que o universo se alterasse de um valor inicial até o valor de 3 kelvins medidos hoje? Com certeza não são os bilhões de anos propostos hoje pela teoria do big bang. Para esses bilhões de anos, entropia crescente teria desorganizado o universo e não apresentaria a estrutura organizada que ele apresenta.
Se o universo tiver apenas alguns milhares de anos, como o calculado e apresentado na Figura 1, a sua estrutura observada é perfeitamente coerente com a idade. Uma criação recente é cientificamente provável e coerente com as evidências cientificamente estudadas.

DESTAQUE BÍBLICO

Em Hebreus 4.3, temos a revelação bíblica da antecipação da primeira lei da termodinâmica. Em Salmos 102.25-27, temos a revelação precisa da segunda lei da termodinâmica.

COMO CREMOS

No princípio, criou Deus os céus e a terra (Gênesis 1.1).

Parnamirim – RN, 20 de maio de 2019

O Senhor seja com o nosso espírito.

Otoniel Medeiros



Referência bibliográfica

LAURO, ADAUTO. Como Tudo Começou. São José dos Campos: Editora Fiel, 2015.

sábado, maio 11, 2019

4/4 - O PROBLEMA DA JUVENTUDE

Como ser um líder cristão quando se é relativamente jovem
1 Tm 4.11 – 5.2



4.1 – INTRODUÇÃO

       É difícil ser um líder quando se é relativamente jovem. Ser jovem normalmente significa ter confiança, entusiasmo e energia. Ser jovem é maravilhoso mas pode ser ao mesmo tempo frustrante quando não se tem confiança dos mais velhos que as vezes os aceitam como adultos mas não como líder. Ele era o representante ou emissário de Paulo em Corinto e devia passar as doutrinas e deveres do apóstolo Paulo à igreja em Éfeso, nisto estava a sua autoridade.
       Havia um perigo real que de que alguns não aceitassem sua juventude e rejeitassem seu ministério. Talvez alguns anciãos se sentissem ressentidos porque Timóteo foi promovido a um posto acima deles. J. B. Philips aborda bem a questão: “Não deixe que as pessoas o desprezem por ser jovem; cuide para que elas o respeitem por ser um exemplo para elas em seu modo de falar em sua conduta, em seu amor, fé e sinceridade”. O teólogo John Stott faz essa abordagem extraindo grandes ensinos tendo com base 1 Tm 4.11 -  5.2. É o que apresentamos aqui. Paulo dá a Timóteo seis conselhos: 1) Cuidado com seu exemplo. 2) Identifique sua autoridade. 3) Exercite seus dons. 4) Mostre seu progresso para que seu crescimento espiritual  seja claro para todos. 5) Preste atenção em sua consciência e 6) Ajuste seu relacionamentos.

4.2 – CUIDADO COM SEU EXEMPLO (1)

       O versículo 12 diz: “Seja um exemplo”. Dar o exemplo é o novo estilo de liderança que Jesus apresentou ao mundo. É a liderança pelo exemplo, não pela autocracia.
       “Observem como o exemplo e o modelo de Timóteo devem ser amplos: nas palavras e na vida, no amor, na fé e na pureza. Talvez estas sejam as mais difíceis: fé em Deus e domínio próprio. Seria difícil exagerar as consequências desastrosas de mau exemplo ou as influências benéficas de um bom exemplo. Por isso, o primeiro conselho a um líder jovem é: cuidado com seu exemplo”.

4.3 – IDENTIFIQUE A SUA AUTORIDADE (2)

       No versículo 13, Paulo diz: “Até a minha chegada”. Paulo tem consciência de autoridade apostólica que exerceria quando estivesse presente em Éfeso na doutrina, na ética, contendas e administraria a disciplina. Timóteo não era apóstolo mas estaria representando o apóstolo Paulo. Paulo recomenda Timóteo ler em público as Escrituras do Antigo Testamento. Nas cerimônias na sinagoga, a lei e os profetas sempre eram lidos. Provavelmente Paulo se referia também a leituras das próprias cartas e às cartas dos outros apóstolos, o que era comum. Cada igreja local começou a fazer sua própria coletânea desses textos cristãos fidedignos. Ele deveria também pregar e ensinar, ou seja, exortar e instruir. “A exegese cuidadosa das Escrituras é essencial para o líder jovem, por isso, primeiro, cuidado com o exemplo, segundo identifique sua autoridade”.

4.4 EXERCITE SEUS DONS (3)

       O versículo 14 diz: “Não negligencie o dom que lhe dado por mensagem profética com imposição de mãos dos presbíteros”. Talvez hoje chamamos de ordenação com imposição de mãos. Tudo indica que foi dado ao4.5 mesmo tempo a Timóteo um dom espiritual, talvez a autoridade de pregar com o poder do Espírito Santo, que não deve ser negligenciado, mas incentivado (2 Tm 1.6).
       “Assim, Timóteo tinha de lembrar que Deus o havia chamado para o ministério e lhe tinha dado o dom para isso, e que a igreja havia reconhecido seu chamado e dons pela imposição de mãos. Se ele exercesse seus dons e ministérios, as pessoas não desprezariam sua juventude. Todos os dons espirituais são dons para o ministério, e as pessoas provavelmente não rejeitarão nosso ministério se puderem ver nossos dons, porque, assim, elas terão de reconhecer que Deus nos deu o dom para o ministério”.

4.5 – COMPARTILHE SEU PROGRESSO (4)

       O versículo 15 diz: “Seja diligente nessas coisas; dedique-se inteiramente a elas, para que todos vejam seu progresso”. Se houver dedicação ao exemplo, autoridade, comissão e dons, certamente haverá progresso e progresso reconhecido. Interessante que o ministro seja visto pelo que se é mas também no que está se tornando. Normalmente há uma cobrança de perfeição sobre todos, mas o progresso é que se projeta para o futuro. Hoje, não o pontual, o hoje o segmento, comparado com ontem e projetado para o futuro. O eco de Paulo fala forte: “Não que eu já tenha obtido tudo isso ou tenha sido aperfeiçoado” (Fl 3.12). O importante é que as pessoas possam ver que estamos fazendo progresso.

4.6 – PRESTE ATENÇÃO EM SUA CONSCIÊNCIA (5)

       O versículo 16 diz: “Atente bem para a sua própria vida e para a doutrina, perseverando nesses deveres, pois assim, você salvará tanto a si mesmo quanto aos que ouvem”. A combinação em si mesmo e doutrina é significativa. Na realidade significa que não deveria negligenciar a si mesmo quando se ensina aos outros e nem negligenciar os outros apenas preocupado consigo mesmo. Deve-se aplicar a si mesmo e aos outros, igualmente, o que se ensina. Essa perseverança dupla é o equilíbrio da liderança, ou seja, é salvando a si mesmo e os outros. A verdade em alto releve é que a fé  sem obra é morta e que não adianta não praticarmos o que pregamos.

4.7 – AJUSTE SEUS RELACIONAMENTOS (6)

       Em 1 Tm 5.1-2 está claro que havia homens, mulheres, idosos e jovens na igreja local. O destaque é que a idade e o sexo das pessoas deveriam determinar a atitude de Timóteo para com todos.
       “Portanto, a igreja local é uma família Na igreja local há pais e mães, irmãos e irmãs. Os líderes cristãos jovens devem ser sensíveis a essas diferenças e não tratar a todos de igual modo, mas tratando os idosos com respeito, sua própria geração com igualdade, o sexo oposto com prudência e compaixão e todas as idades de ambos os sexos com o amor que une a família cristã”. Isso também significa exortar os idosos como uma exortação e repreensão. Tratar os idosos como se fossem pais e as mulheres mais velhas como mães. Tratar os jovens como irmãos e as mulheres mais jovens como irmãs.

4.8 – CONCLUSÃO

       “O líder cristão foi comissionado por Deus para uma tarefa de responsabilidade e serviço”. Faz parte da liderança cristã também enfrentar pressões e conflitos mas os líderes cristãos sabem que o Senhor Jesus é aquele o orienta, instrui, alimenta e acompanha.


Parnamirim – RN, 11 de maio de 2019


O amor seja com todo nós, em Cristo Jesus.


Otoniel M. de Medeiros



Referência bibliográfica

STOTT, JOHN. Desafios da liderança. Viçosa: Editora Ultimato, 2016.