terça-feira, setembro 21, 2010

sábado, julho 31, 2010

DIA DOS PAIS



O dia dos pais de 2010 se aproxima. Deixando o oportunismo comercial de lado, penso: o que é ser pai?

O Brasil está sacudido por crimes contra a mulher no espaço da família. O apóstolo Paulo caminhou na linha do tempo e disse que “nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos” (II Tm 3.1). Há poucos dias vi na televisão uma mãe que estava com uma filha desaparecida, provavelmente assassinada pelo suposto pai da criança que ela trazia nos braços, e como avó daquela criança ela dizia que esperava que aquele neto não fosse filho do provável assassino da sua filha.

Lendo a Bíblia encontrei algumas conclusões sobre o que é ser pai:

1.É ser JUSTO. Em Mt 1.19 lemos que José, desposado com Maria, a mãe de Jesus, a agraciada e bendita (Lc 1.28), era justo. Foi justo quando diante da dúvida de como Maria estava grávida (Mt 1.19), não a infamou e intentou deixá-la secretamente, mas recebeu em sonho por um anjo do Senhor, que estava gerado o Salvador pelo Espírito Santo.

2.É ser ÉTICO. Denunciando Maria, José a levaria a um julgamento conforme a Lei. Deixando-a secretamente ele estaria assumindo uma culpa de abandono da família. Ele também não apelou para recursos abortivos. A traição é tão séria que pela atitude de José que estava perdoando Maria e assumindo publicamente a culpa, mas não optou para continuar casado.

3.É ser LÍDER. Para proteger a criança de Herodes, em sonho, recebeu a orientação divina para se refugiarem no Egito (Mt 1.14). Por divina revelação volta, e volta agora para a Galiléia sempre na defesa da criança (Mt 2.19-23).

4.É ser preparador para a VIDA. "E o menino crescia, e se fortalecia em espírito, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele" (Lc 2 : 40). Jesus aprendeu a profissão de José: "Não é este o carpinteiro, filho de Maria, e irmão de Tiago, e de José, e de Judas e de Simão? e não estão aqui conosco suas irmãs? E escandalizavam-se nele." (Mc 6 : 3). Este prepara para a vida é como uma flecha lançada por um hábil guerreiro, tem objetivo certo: "Como flechas na mão de um homem poderoso, assim são os filhos da mocidade" (Sl 127 : 4).

CONCLUSÃO

Ser pai é ser filho: "Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa" (Ef 6 : 2).


Natal, 31 de julho de 2010

Otoniel M. de Medeiros

quinta-feira, junho 17, 2010

FÉ E CIÊNCIA

(Foto setimodia.files.wordpress.com)

João 2

5 Sua mãe disse aos serventes: Fazei tudo quanto ele vos disser.
6 E estavam ali postas seis talhas de pedra, para as purificações dos judeus, e em cada uma cabiam dois ou três almudes.
7 Disse-lhes Jesus: Enchei de água essas talhas. E encheram-nas até em cima.
8 E disse-lhes: Tirai agora, e levai ao mestre-sala. E levaram.
9 E, logo que o mestre-sala provou a água feita vinho (não sabendo de onde viera, se bem que o sabiam os serventes que tinham tirado a água), chamou o mestre-sala ao esposo,
10 E disse-lhe: Todo o homem põe primeiro o vinho bom e, quando já têm bebido bem, então o inferior; mas tu guardaste até agora o bom vinho.

O Senhor Jesus transforma água no melhor vinho. Na festa era servido o vinho recém-transformado. Levando-se aquele vinho para um exame laboratorial de caracterização, cientificamente a datação não iria indicar um vinho recém-fabricado, era o melhor vinho. Mas era vinho novo.

Cientificamente alguém poderia dizer que era um vinho envelhecido, estava certo. Alguém que presenciou o milagre também poderia dizer: não, é vinho recém-transformado. Outra pessoa que não estava presente naquele casamento pela fé, poderia também afirmar que era vinho novo, resultado um milagre operado pelo Senhor.

"Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido." (I Coríntios 13 : 12)

Neste blog você pode ler os dois informes:

LUA E TERRA SE FORMARAM MAIS TARDE DO QUE SE PENSAVA, diz estudo
CIENTISTAS DESCOBREM NOVA PARTÍCULA SUBATÔMICA

Sabemos que:

Ciência é o conjunto organizado de conhecimentos relativo a determinada área do saber, caracterizado por metodologia específica.

“Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem” (Hebreus 11.1).

Com respeito aos cientistas pela ética do trabalho de cada um, não podemos deixar de crer num Deus criador que usa a Igreja num processo de inserção de restauração de todas as coisas no Senhor Jesus.

Natal-RN, 18 de junho de 2010

Nosso abraço,

Otoniel M. de Medeiros

segunda-feira, junho 07, 2010

LUA E TERRA SE FORMARAM MAIS TARDE DO QUE SE PENSAVA, diz estudo

Foto NASA
(Do G1, São Paulo)

Sabia-se que colisão que gerou os astros ocorreu há 4,5 bilhões de anos.Cientistas agora dizem que choque ocorreu 120 milhões de anos depois.

A Terra e a Lua foram criadas a partir de um choque fortíssimo entre dois planetas do tamanho de Marte e Vênus. Até agora se pensava que essa colisão havia ocorrido quando o Sistema Solar tinha cerca de 30 milhões de anos – cerca de 4.537 bilhões de anos atrás. Novos estudos mostram, contudo, que os astros se formaram até 120 milhões de anos depois dessa data.
A pesquisa, realizada pelo Instituto Niels Bohr, da Universidade de Copenhague, na Dinamarca, foi publicada na revista científica "Earth and Planetary Science Letters".
"Nós determinamos a idade da Terra e da Lua usando isótopos de tungstênio, que podem revelar se o núcleo ferroso [dos planetas que se chocaram] e a sua superfície rochosa se misturaram durante a colisão", explica Tais W. Dahl, autor do estudo.
Contrariando pesquisas anteriores, Dahl mostra que a colisão não fez com que a camada de rochas e os núcleos se fundissem completamente durante o choque.




quinta-feira, maio 20, 2010

MAIS FORTE DO QUE A MORTE


Artigo publicado pela revista Ultimato de mar-abr de 2010

Ricardo Barbosa de Sousa


O século 21 tem sido marcado por grandes tragédias. Algumas naturais, outras não. Tivemos os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, que causaram a morte de quase 3 mil pessoas, com desdobramentos que seguem semeando ódio e morte. No dia 26 de dezembro de 2004, um grande maremoto devastou a costa de vários países no Oceano Pacífico, causando a morte de quase 300 mil pessoas, deixando milhões desabrigadas. No dia 29 de agosto de 2005, o furacão Katrina atingiu três estados do sul dos Estados Unidos, no que foi considerada a maior tragédia natural da história do país, levando a vida de mais de mil pessoas e deixando milhares sem abrigo. Aqui no Brasil temos assistido à tragédia de milhares de famílias que perderam parentes e casas nas enchentes de 2009 e deste ano. No início deste ano, o Haiti, pais já devastado pela miséria, viveu sua maior tragédia quando um terremoto destruiu grande parte da nação, matando cerca de 200 mil pessoas e deixando milhões de desabrigados, num cenário com desdobramentos imprevisíveis.

A cada catástrofe a humanidade se volta às mesmas perguntas e discussões para as quais não existem respostas -- pelo menos racionais. Uns apelam para a justiça divina como forma de castigar a humanidade pecadora. Outros buscam excluir Deus, fazendo dele um Criador sem criação. Existem ainda aqueles que responsabilizam a humanidade pelo descuido do meio ambiente e pela ambição irracional pelo poder, que agora colhe os resultados de sua insanidade. São tentativas frágeis, por vezes desumanas, que não respondem às grandes perguntas, nem expressam a graça de Deus.

Como olhar para tudo isto e permanecer crendo num Deus que ama? Como continuar crendo num Deus cheio de compaixão e misericórdia diante das catástrofes que roubam a vida de crianças, deixam outras órfãs, em que famílias inteiras perdem tudo o que construíram (parentes e bens) em sua já miserável passagem pela vida? No entanto, o problema continua, com seu terrível peso de morte, destruição e desolação, sem as respostas que todos buscam.

É preciso reverência e temor em nosso olhar para a dor e o sofrimento. Não podemos excluir Deus deles, porque onde há sofrimento Deus está presente, mesmo que silenciosamente. O mesmo mistério divino que nos dá vida, perdoa e salva, que sustenta com beleza e harmonia o universo por ele criado, é também o mistério presente na tragédia e na dor humana. Qualquer esforço para entender será sempre limitado. A resposta de Deus ao sofrimento humano não foi tentar explicá-lo, mas enviar seu Filho eterno, que se fez homem entre nós, mergulhou nos abismos da dor e do sofrimento, para nos mostrar, por meio da cruz e da ressurreição, o caminho da vida e da esperança eterna.

No meio dessas tragédias reconhecemos que não possuímos nada. Não temos controle sobre nada. O futuro não nos pertence. Tudo pode acabar num instante. Somente em Cristo podemos nos alimentar de uma esperança real e eterna. Nele, e somente nele, temos segurança real. Diante do sofrimento devemos nos calar e nos abrir para a solidariedade. Nossa mente finita e limitada não consegue compreender os mistérios do propósito divino; portanto, resta-nos chorar, lamentar e consolar os que sofrem.

Nas tragédias o ser humano tende a manifestar o que há de melhor ou de pior no coração. Manifesta solidariedade ou indiferença. Esperança e fé ou ceticismo e desesperança. Bondade e generosidade ou egoísmo e ambição. Temor e reverência a Deus e aos seus propósitos eternos ou revolta e incredulidade.

Minha oração é que, em meio a tantas tragédias, nosso coração continue crente. Que nossa fé seja fortalecida na esperança do Deus que reina. Que nossa resposta seja solidária, compassiva e generosa. Que nossas orações sejam um clamor para que a humanidade se volte para Cristo, em quem a vida, mesmo em meio às piores tragédias, encontra sentido. Porque nele, por meio dele e para ele é que todas as coisas existem. “Ele faz a ferida e ele cura.” Ao Senhor seja toda glória.



Ricardo Barbosa de Sousa é pastor da Igreja presbiteriana do Planalto e coordenador do Centro Cristão de Estudos, em Brasília. É autor de “Janelas para a Vida” e “O Caminho do Coração”.

sexta-feira, janeiro 01, 2010

CAMINHANDO NA LINHA DO TEMPO


Neste primeiro dia de 2010, como sempre, refletimos mais sobre o tempo; este tempo que nos liga a eternidade passada à eternidade futura. Leio na Bíblia Sagrada em Mt 24.12: “E, por se multiplicar a iniquidade o amor de muitos esfriará.” Palavra do Senhor Jesus no sermão profético, falando sobre o princípio das dores.

À medida que caminhamos na linha do tempo entendemos que a iniquidade aumenta. A vida é de dores. A Bíblia fala de um tempo de mais dores: “Mas todas estas coisas são o princípio das dores” (Mt 24.8).

O apóstolo Paulo diz para Timóteo (IITm 3.1-5): “1 Sabe, porém que nos últimos dias sobrevirão tempos, trabalhosos. 2 Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, 3 sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, 4 traidores, obstinados orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amos de Deus, 5 tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Deste afasta-te,”. E mais na frente, no versículo 13 ela diz: “Mas os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados.”

Não sou pessimista, apenas estou sendo realista. A Bíblia também traz a mensagem das Boas Novas. O profeta Malaquias (Ml 4.2) diz: “Mas para vós, que temeis o meu nome nascerá o sol da justiça, e salvação trará debaixo das suas asas; e saireis, e crescereis como os bezerros do cevadouro.”

O penúltimo versículo da Bíblia são palavras do próprio Senhor Jesus (Ap 22.20): “Aquele que testifica estas coisas diz: Certamente cedo venho. Amém. Ora vem, Senhor Jesus.”

“A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com todos vós. Amém.” (Ap 22.21)

Nosso abraço,

Otoniel M. de Medeiros