sábado, dezembro 29, 2012

LIVRES DO AGENTE OPRESSOR


O agente opressivo reduz à sujeição. Há um momento de arrancar esse agente, que machuca, fere e escraviza. Assim Isaque profetizou para Esaú: “Você viverá por sua espada e servirá a seu irmão. Mas, quando você não suportar mais, arrancará do pescoço o jugo.” (Gn 27.40 - NVI)

Jabez (o que provoca dores) poderia ficar limitado, bloqueado pela origem do seu nome, mas superou, conforme I Cr 4: “9  E foi Jabez mais ilustre do que seus irmãos; e sua mãe deu-lhe o nome de Jabez, dizendo: Porquanto com dores o dei à luz. 10  Porque Jabez invocou o Deus de Israel, dizendo: Se me abençoares muitíssimo, e meus termos ampliares, e a tua mão for comigo, e fizeres que do mal não seja afligido! E Deus lhe concedeu o que lhe tinha pedido.”

O Senhor Jesus é libertação, Is 61: ”1  O Espírito do Senhor Deus está sobre mim; porque o Senhor me ungiu, para pregar boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos; 2  A apregoar o ano aceitável do SENHOR e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os tristes;”

“Ao único Deus, sábio, seja dada glória por Jesus Cristo para todo o sempre. Amém” (Rm 16.27).

Otoniel M. de Medeiros

terça-feira, novembro 20, 2012

O ESPÍRITO SANTO E A IGREJA

INTRODUÇÃO

No início de tudo o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas (Gn 1.2) e a vida surgiu, tudo muito bom surgiu. Hoje o mesmo Espírito foi derramado na igreja (Jl 2.28) originando uma nova criação: o batismo com o Espírito Santo, a plenitude do Espírito Santo, o fruto do Espírito e os dons espirituais.

BATISMO NO ESPIRITO SANTO

Ao nascer de novo (Jo 3.3), quando o Espírito de Deus se une ao espírito do humano, acontece o batismo com ou no Espírito Santo: I Co 12.13: “Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito.”

Havia a promessa de Deus do derramamento do Espírito Santo sobre toda a carne (Jl 2.28) - judeus, samaritanos, gentios e prosélitos.

Este derramamento acontece: sobre os judeus em At 2.1-13; samaritanos, At 8.17; gentios At 10.44 e sobre os prosélitos em At 19.6.

PLENITUDE DO ESPÍRITO SANTO (Um relacionamento com os outros e com Deus)

Efésios 5:  18  E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito; 19 Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração; 20  Dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo; 21  Sujeitando-vos uns aos outros no temor de Deus.

O FRUTO DO ESPÍRITO (Um relacionamento com os outros e consigo)

Gálatas 5.22: “Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.”

OS DONS ESPIRITUAIS (Textos: I Co 12;  Rm 12.3-8; Ef 4.7-12 e I Pe 4.10-11)

 O Novo Testamento relaciona no mínimo 20 dons espirituais, conforme os textos acima, que são: palavra de sabedoria, palavra de conhecimento, fé, curar, milagres, profecia, discernimento de espíritos, variedades de línguas, interpretação de línguas, apóstolos, mestres ou doutores, socorros, governos (exercer liderança), ministério (servir), ensinar, exortar (animar), repartir (contribuir), misericórdia, evangelistas e pastores.

CONCLUSÃO

“O batismo com o Espírito Santo, que é um dom inicial que Deus nos dá quando nos toma para sermos seu povo. O perdão e o dom do Espírito Santo são o verso e anverso da salvação ampla que Cristo nos dá.

Precisamos buscar cada vez mais a plenitude do Espírito Santo, através do arrependimento, fé e obediência e, também continuar semeando no Espírito, de modo que seu fruto cresça e amadureça em nosso caráter.

Os dons espirituais são capacitações múltiplas e variadas para o serviço.”


Em Cristo Jesus nosso Senhor,

Otoniel M. de Medeiros

Bibliografia: Batismo e Plenitude do Espírito Santo – John Stott

terça-feira, julho 17, 2012

ONDE ESTÃO ENOQUE, MOISÉS E ELIAS?

Otoniel M. de Medeiros

                As vezes somos impulsionados a elaborar alguns modelos bíblicos provavelmente sobre bases de curiosidades e não tenho nem muita certeza da sua real necessidade deste aqui apresentado. Este texto, apesar do silêncio bíblico sobre o assunto, se encontra algumas variáveis que nos leva a esta conclusão.

              Elias foi trasladado, Moisés morreu e na transfiguração do Senhor Jesus está com os dois. Particularmente em relação a Moisés, para que não haja uma agressão aos princípios bíblicos, de suposto contato com mortos, sou levado a pensar que Moisés morre, Deus o ressuscita, igual a todas as outras ressurreições já ocorridas e traslada para a mesma essência de Elias.

ENOQUE

                Enoque foi trasladado, não passou pela morte, não a viu, foi tomado por Deus:

- Gênesis 5.24: "E andou Enoque com Deus; e não apareceu mais, porquanto Deus para si o tomou."

- Hebreus 11.5: "Pela fé Enoque foi trasladado para não ver a morte, e não foi achado, porque Deus o trasladara; visto como antes da sua trasladação alcançou testemunho de que agradara a Deus."

MOISÉS

                Em Deuteronômio 34, temos a descrição da morte de Moisés:

5  Assim morreu ali Moisés, servo do SENHOR, na terra de Moabe, conforme a palavra do SENHOR.
6  E o sepultou num vale, na terra de Moabe, em frente de Bete-Peor; e ninguém soube até hoje o lugar da sua sepultura.
7  Era Moisés da idade de cento e vinte anos quando morreu; os seus olhos nunca se escureceram, nem perdeu o seu vigor.

                O corpo de Moisés nunca foi encontrado. Leia o artigo “Comunicação com os mortos é possível?” Entendemos que Deus ressuscitou Moisés e o trasladou para si também porque ele aparece na transfiguração de Jesus.

ELIAS

                Elias também foi trasladado, II Reis 2.11: “E sucedeu que, indo eles andando e falando, eis que um carro de fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro; e Elias subiu ao céu num redemoinho.”

UMA TENDÊNCIA DE PENSAR

                Sou tendente a entender que essas  trasladações (considerando também a de Moisés, por causa da transfiguração) foi para uma dimensão celestial diferente para onde Jesus voltou, tendo por base João 3.13: "Ora, ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu, o Filho do homem, que está no céu."

                Nesta dimensão talvez podemos até associar Moisés com os salvos glorificados que passarão pela morte e, Elias, os que serão arrebatados na vinda do Senhor, não passarão pela morte.

Romanos 12.27: “Ao único Deus, sábio, seja dada glória por Jesus Cristo para todo o sempre. Amém”


Otoniel M. de Medeiros

sábado, julho 07, 2012

DISCERNIMENTO, DISCERNIMENTO?

PRINCÍPIOS DE BUSCA DA REVELAÇÃO DO PROPÓSITO DE DEUS
Otoniel M. de Medeiros

                A nossa limitação em todos os níveis de vida nos leva a muitos desconfortos. O que devemos fazer? Como devemos agir? Qual a opção que devemos tomar? Como podemos abordar determinado assunto? Qual a revelação do propósito de Deus em nossa vida? Falamos de discernimento.

                O grande cuidado que devemos ter é não cair em malhas indesejadas; malhas essas tecidas até por pessoas bem intencionadas. Há malhas também confeccionadas maldosamente por oportunismo com os mais variados interesses de conquistas, aprisionamento emocional e místico.

                O teólogo John Stott, no seu livro Batismo e Plenitude do Espírito Santo, usa princípios básicos para essa abordagem, quando na década de 1960 crescia no mundo o movimento carismático. Aqui destacamos esses princípios.

1º PRINCÍPIO – Deve ser nosso anseio e obrigação de encaixar-se no propósito pleno de Deus para nós.

2º PRINCÍPIO – Devemos descobrir este propósito de Deus na Bíblia. A vontade de Deus para as pessoas está na Palavra d´Ele. A experiência nunca deve ser o critério da verdade; a verdade deve ser sempre o critério da experiência.

3º PRINCÍPIO – Esta revelação do propósito de Deus na Bíblia deve ser buscada preferencialmente nas suas passagens didáticas (nos ensinos e sermões de Jesus e escritos dos apóstolos), e não nas descritivas (narrativas de Atos, por exemplo).

4º PRINCÍPIO – Nossa motivação ao buscarmos aprender o propósito de Deus no ensino da Escritura, é prática pessoal e não acadêmica e polêmica.

CONCLUSÃO

II Tm 3.16: “Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça;”


Romanos 12.27: “Ao único Deus, sábio, seja dada glória por Jesus Cristo para todo o sempre. Amém”


Otoniel M. de Medeiros

terça-feira, março 20, 2012

QUEM RESSUSCITOU JESUS CRISTO?

Li diversas respostas sobre esta pergunta. Observei que as respostas distorcidas foram baseadas apenas em um versículo, sem ter uma visão bíblica geral.

Vejamos alguns textos bíblicos:

Gálatas 1.1: “Paulo, apóstolo (não da parte dos homens, nem por homem algum, mas por Jesus Cristo, e por Deus Pai, que o ressuscitou dentre os mortos),”

Romanos 8.11: “E, se o Espírito daquele que dentre os mortos ressuscitou a Jesus habita em vós, aquele que dentre os mortos ressuscitou a Cristo também vivificará os vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que em vós habita.”

João 2.19: “Jesus respondeu, e disse-lhes: Derribai este templo, e em três dias o levantarei.”

Conclusão: Paulo diz em Gl 1.1 que o Pai participou da ressurreição de Jesus Cristo; aos romanos, em Rm 8.11, que o Espírito Santo ressuscitou a Cristo e João deixa claro que o próprio Jesus afirmou que participava da sua ressurreição. A ressurreição de Jesus, é uma ação coordenada do Deus Trino: Pai, Filho e Espírito Santo.

Esta é a minha forma de crê. Abraços.

Romanos 12.27: “Ao único Deus, sábio, seja dada glória por Jesus Cristo para todo o sempre.

Otoniel M. de Medeiros

sábado, fevereiro 25, 2012

O EVANGELHO DE CRISTO É O PODER DE DEUS - Rm 1.16

Pastor Youcef Nadarkhani e família
Condenado a pena de morte no Irã por ser cristão


Estou tentando posicionar-me  em uma atitude de vigilância (I Pe 5.8) na vida cristã. Há muitas propostas “evangélicas” no Brasil que poderiam estarem anunciando o evangelho de Cristo, pelas grandes condições que têm, mas parece que isto não está acontecendo.

As grandes redes midiáticas e igrejas que seriam para anunciar o evangelho, brigam entre si; os grandes líderes disputam o expansivo mercado da fé, há denúncias muito absurdas nas mais diversas áreas. Esta semana li um texto de um líder evangélico, de grande capacidade teológica e cultural, onde faz sérias denúncias aos líderes evangélicos no Brasil e renunciou o seu vínculo com o movimento evangélico.

O jornal britânico Daily Mail informou recentemente que um pastor evangélico, no Irã, foi condenado a pena de morte por ter se convertido do islamismo para o cristianismo. O nome dele é Youcef Nadarkhani.

Enquanto entre nós, quem poderia estar anunciando o evangelho de Cristo numa escala maior, briga, mercantiliza, golpeia de forma baixa, os seus seguidores, do outro lado o pastor Youcef Nadarkhani se entrega ao martírio por Cristo.

Estes dois extremos mexeram comigo. Oro. Peço a Deus, no nome do Senhor Jesus, que o Espirito Santo me oriente, na minha vida cristã: que o pouco que faço na dimensão de Reino de Deus seja sincero e de acordo com a Palavra de Deus.

“Somente a fé, somente a Escritura, somente Cristo, somente a graça e glória somente a Deus.”

Natal – RN, 25 de fevereiro de 2012

Nosso abraço,

Otoniel M. de Medeiros

quarta-feira, fevereiro 22, 2012

REVISANDO A NOSSA MATEMÁTICA

C. S. Lewis

PARECE uma brincadeira, quando eu digo que, se um relógio estiver adiantado, a coisa mais sensata a fazer é atrasá-lo? [...] Todos nós desejamos o progresso. Porém, o progresso significa chegar mais perto do lugar em que você gostaria de estar. Se você estiver virado na esquina errada, ir par frente não o fará chegar nem um pouco mais perto. Se você estiver na estrada errada, progredir significará dar meia-volta e retomar a estrada certa; e, nesse caso, o homem que voltar mais rápido será o mais progressivo. Todos nós passamos por essa experiência quando lidamos com a matemática. Sempre que faço um cálculo errado, quanto mais admitir o erro e voltar atrás para recomeçar, mais rápido estarei em condições de avançar. Ser teimoso ou recusar-se a admitir um erro não significa avanço. Acredito que, se você olhar para o estado atual desse mundo, ficará bastante claro que a humanidade tem cometido alguns erros graves. Encontramo-nos na estrada errada. E, sendo assim, temos de voltar. Voltar atrás é o caminho mais rápido para o avanço.

- de Mere Christianty [Cristianismo Puro e Simples] – Um ano com C. S. Lewis, Editora Ultimato.