sábado, julho 07, 2012

DISCERNIMENTO, DISCERNIMENTO?

PRINCÍPIOS DE BUSCA DA REVELAÇÃO DO PROPÓSITO DE DEUS
Otoniel M. de Medeiros

                A nossa limitação em todos os níveis de vida nos leva a muitos desconfortos. O que devemos fazer? Como devemos agir? Qual a opção que devemos tomar? Como podemos abordar determinado assunto? Qual a revelação do propósito de Deus em nossa vida? Falamos de discernimento.

                O grande cuidado que devemos ter é não cair em malhas indesejadas; malhas essas tecidas até por pessoas bem intencionadas. Há malhas também confeccionadas maldosamente por oportunismo com os mais variados interesses de conquistas, aprisionamento emocional e místico.

                O teólogo John Stott, no seu livro Batismo e Plenitude do Espírito Santo, usa princípios básicos para essa abordagem, quando na década de 1960 crescia no mundo o movimento carismático. Aqui destacamos esses princípios.

1º PRINCÍPIO – Deve ser nosso anseio e obrigação de encaixar-se no propósito pleno de Deus para nós.

2º PRINCÍPIO – Devemos descobrir este propósito de Deus na Bíblia. A vontade de Deus para as pessoas está na Palavra d´Ele. A experiência nunca deve ser o critério da verdade; a verdade deve ser sempre o critério da experiência.

3º PRINCÍPIO – Esta revelação do propósito de Deus na Bíblia deve ser buscada preferencialmente nas suas passagens didáticas (nos ensinos e sermões de Jesus e escritos dos apóstolos), e não nas descritivas (narrativas de Atos, por exemplo).

4º PRINCÍPIO – Nossa motivação ao buscarmos aprender o propósito de Deus no ensino da Escritura, é prática pessoal e não acadêmica e polêmica.

CONCLUSÃO

II Tm 3.16: “Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça;”


Romanos 12.27: “Ao único Deus, sábio, seja dada glória por Jesus Cristo para todo o sempre. Amém”


Otoniel M. de Medeiros

Um comentário:

Marcos Aurélio disse...

Mestre, Grande abraço!