terça-feira, novembro 24, 2020

MARTINHO LUTERO CONCEITUA A MULHER

 

Otoniel Medeiros

 

Para Catarina, esposa do reformador Lutero, ele era um bom marido, que provavelmente não acreditava nos insultos que ele mesmo falava a respeito das mulheres. Ela tinha essa segurança pelo alto nível de respeito pessoal de Lutero por ela, como também ele estimava muito as mulheres em geral, pelos fundamentos bíblicos.

 O JOVEM LUTERO CRITICOU A PRIMEIRA MULHER (EVA)

Lutero, bem jovem, logicamente antes de seu casamento com Catarina, fez esse comentário bíblico de Eva: “Faladeira e supersticiosa, por ser a primeira a falar com a serpente [...] Ele a imaginava como uma mulher simples, fraca e pequena, que não deveria ter entrado em uma disputa que, desde o princípio, excedia seus limites; antes, deveria ter levado as perguntas do diabo ao homem, seu superior [...]”.

O jovem Lutero usava esse argumento para defender, neste caso, a sujeição da mulher à autoridade eclesial do se marido.

A VISÃO DE LUTERO SOBRE A MULHER COM O SEU CASAMENTO

Lutero, sempre arrojado em palavras e consequentemente nos seus textos, agora bem casado, pai de seis filhos traçou um perfil surpreendentemente alterado e imaginativo de Eva e passou a considera-la como: Parceira de Adão, no seu mesmo nível. Eva era mais do que mulher de Adão, era mãe de todos os viventes. Lutero considerava a maternidade muito mais do que dar à luz filhos.

 

Lutero escreveu: “Quando Eva foi trazida para Adão, ele se tornou cheio do Espírito Santo e deu a ela o mais santificado e mais glorioso dos nomes. Ele a chamou de Eva, que significa mãe de todos. Ele não a caracterizou como mulher; mas simplesmente como mãe – mãe de todas as criaturas viventes. Nisso está a glória, e o mais precioso ornamento da mulher”.

CONCLUSÃO

Martinho Lutero considerava a sua esposa Catarina, tal como Eva, formada por Deus e cuidada pelo seu marido, mais do que esposa, mas mãe. Proclamou Lutero: “Nisso, está a glória, e o mais precioso ornamente mulher”.

 

Na paz, e sempre na paz,

 

Otoniel Medeiros

Parnamirim – RN, 24 de novembro de 2020


Referência bibliográfica: Tucker, Ruth A.

   A primeira-dama da reforma. - 1 ed. Rio de Janeiro: Thomas Nelson Brasil, 2017. Kindle.