sábado, maio 11, 2019

4/4 - O PROBLEMA DA JUVENTUDE

Como ser um líder cristão quando se é relativamente jovem
1 Tm 4.11 – 5.2



4.1 – INTRODUÇÃO

       É difícil ser um líder quando se é relativamente jovem. Ser jovem normalmente significa ter confiança, entusiasmo e energia. Ser jovem é maravilhoso mas pode ser ao mesmo tempo frustrante quando não se tem confiança dos mais velhos que as vezes os aceitam como adultos mas não como líder. Ele era o representante ou emissário de Paulo em Corinto e devia passar as doutrinas e deveres do apóstolo Paulo à igreja em Éfeso, nisto estava a sua autoridade.
       Havia um perigo real que de que alguns não aceitassem sua juventude e rejeitassem seu ministério. Talvez alguns anciãos se sentissem ressentidos porque Timóteo foi promovido a um posto acima deles. J. B. Philips aborda bem a questão: “Não deixe que as pessoas o desprezem por ser jovem; cuide para que elas o respeitem por ser um exemplo para elas em seu modo de falar em sua conduta, em seu amor, fé e sinceridade”. O teólogo John Stott faz essa abordagem extraindo grandes ensinos tendo com base 1 Tm 4.11 -  5.2. É o que apresentamos aqui. Paulo dá a Timóteo seis conselhos: 1) Cuidado com seu exemplo. 2) Identifique sua autoridade. 3) Exercite seus dons. 4) Mostre seu progresso para que seu crescimento espiritual  seja claro para todos. 5) Preste atenção em sua consciência e 6) Ajuste seu relacionamentos.

4.2 – CUIDADO COM SEU EXEMPLO (1)

       O versículo 12 diz: “Seja um exemplo”. Dar o exemplo é o novo estilo de liderança que Jesus apresentou ao mundo. É a liderança pelo exemplo, não pela autocracia.
       “Observem como o exemplo e o modelo de Timóteo devem ser amplos: nas palavras e na vida, no amor, na fé e na pureza. Talvez estas sejam as mais difíceis: fé em Deus e domínio próprio. Seria difícil exagerar as consequências desastrosas de mau exemplo ou as influências benéficas de um bom exemplo. Por isso, o primeiro conselho a um líder jovem é: cuidado com seu exemplo”.

4.3 – IDENTIFIQUE A SUA AUTORIDADE (2)

       No versículo 13, Paulo diz: “Até a minha chegada”. Paulo tem consciência de autoridade apostólica que exerceria quando estivesse presente em Éfeso na doutrina, na ética, contendas e administraria a disciplina. Timóteo não era apóstolo mas estaria representando o apóstolo Paulo. Paulo recomenda Timóteo ler em público as Escrituras do Antigo Testamento. Nas cerimônias na sinagoga, a lei e os profetas sempre eram lidos. Provavelmente Paulo se referia também a leituras das próprias cartas e às cartas dos outros apóstolos, o que era comum. Cada igreja local começou a fazer sua própria coletânea desses textos cristãos fidedignos. Ele deveria também pregar e ensinar, ou seja, exortar e instruir. “A exegese cuidadosa das Escrituras é essencial para o líder jovem, por isso, primeiro, cuidado com o exemplo, segundo identifique sua autoridade”.

4.4 EXERCITE SEUS DONS (3)

       O versículo 14 diz: “Não negligencie o dom que lhe dado por mensagem profética com imposição de mãos dos presbíteros”. Talvez hoje chamamos de ordenação com imposição de mãos. Tudo indica que foi dado ao4.5 mesmo tempo a Timóteo um dom espiritual, talvez a autoridade de pregar com o poder do Espírito Santo, que não deve ser negligenciado, mas incentivado (2 Tm 1.6).
       “Assim, Timóteo tinha de lembrar que Deus o havia chamado para o ministério e lhe tinha dado o dom para isso, e que a igreja havia reconhecido seu chamado e dons pela imposição de mãos. Se ele exercesse seus dons e ministérios, as pessoas não desprezariam sua juventude. Todos os dons espirituais são dons para o ministério, e as pessoas provavelmente não rejeitarão nosso ministério se puderem ver nossos dons, porque, assim, elas terão de reconhecer que Deus nos deu o dom para o ministério”.

4.5 – COMPARTILHE SEU PROGRESSO (4)

       O versículo 15 diz: “Seja diligente nessas coisas; dedique-se inteiramente a elas, para que todos vejam seu progresso”. Se houver dedicação ao exemplo, autoridade, comissão e dons, certamente haverá progresso e progresso reconhecido. Interessante que o ministro seja visto pelo que se é mas também no que está se tornando. Normalmente há uma cobrança de perfeição sobre todos, mas o progresso é que se projeta para o futuro. Hoje, não o pontual, o hoje o segmento, comparado com ontem e projetado para o futuro. O eco de Paulo fala forte: “Não que eu já tenha obtido tudo isso ou tenha sido aperfeiçoado” (Fl 3.12). O importante é que as pessoas possam ver que estamos fazendo progresso.

4.6 – PRESTE ATENÇÃO EM SUA CONSCIÊNCIA (5)

       O versículo 16 diz: “Atente bem para a sua própria vida e para a doutrina, perseverando nesses deveres, pois assim, você salvará tanto a si mesmo quanto aos que ouvem”. A combinação em si mesmo e doutrina é significativa. Na realidade significa que não deveria negligenciar a si mesmo quando se ensina aos outros e nem negligenciar os outros apenas preocupado consigo mesmo. Deve-se aplicar a si mesmo e aos outros, igualmente, o que se ensina. Essa perseverança dupla é o equilíbrio da liderança, ou seja, é salvando a si mesmo e os outros. A verdade em alto releve é que a fé  sem obra é morta e que não adianta não praticarmos o que pregamos.

4.7 – AJUSTE SEUS RELACIONAMENTOS (6)

       Em 1 Tm 5.1-2 está claro que havia homens, mulheres, idosos e jovens na igreja local. O destaque é que a idade e o sexo das pessoas deveriam determinar a atitude de Timóteo para com todos.
       “Portanto, a igreja local é uma família Na igreja local há pais e mães, irmãos e irmãs. Os líderes cristãos jovens devem ser sensíveis a essas diferenças e não tratar a todos de igual modo, mas tratando os idosos com respeito, sua própria geração com igualdade, o sexo oposto com prudência e compaixão e todas as idades de ambos os sexos com o amor que une a família cristã”. Isso também significa exortar os idosos como uma exortação e repreensão. Tratar os idosos como se fossem pais e as mulheres mais velhas como mães. Tratar os jovens como irmãos e as mulheres mais jovens como irmãs.

4.8 – CONCLUSÃO

       “O líder cristão foi comissionado por Deus para uma tarefa de responsabilidade e serviço”. Faz parte da liderança cristã também enfrentar pressões e conflitos mas os líderes cristãos sabem que o Senhor Jesus é aquele o orienta, instrui, alimenta e acompanha.


Parnamirim – RN, 11 de maio de 2019


O amor seja com todo nós, em Cristo Jesus.


Otoniel M. de Medeiros



Referência bibliográfica

STOTT, JOHN. Desafios da liderança. Viçosa: Editora Ultimato, 2016.

Nenhum comentário: